terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Bar imaginário

Queria estar num bar onde ao invés de drinques alcoólicos oferecessem drinques sentimentais. Ou melhor, a mistura destes.

Para começar uma cerveja com bastante alegria. Espantar a tristeza e levantar o astral.
Um gim com euforia é a segunda pedida. Dá um clima boêmio e a explosão da euforia é apropriada com a leveza do gim.
Um conhaque afogado em carinho para afastar a carência e evitar a queda brusca da euforia.
Whisky com plenitude dá um ar fidalgo e justifica toda a cena.
Vodka com charme. Esquenta a noite e mantém a euforia no seu devido lugar.
Vinho com satisfação. Esse trago torna-se isento de justificação e explicações.
Um licor de carisma para tornar minha companhia mais agradável.
E por último um martini com saudades para fazer válido o momento e garantir a minha volta ao bar imaginário.

escrito antes de dormir no dia 25/02/08

2 comentários:

Alma de Poesia disse...

Olá!
Muito grata visita e pelas palavras.
Fico feliz que tenhas gosta de minha poesia e mais ainda, por saber que deseja favoritar meu blog aqui em seu espaço poético Farei o mesmo ok?
Ah! E se tiver interessado em uma parceria com nossos outros blogs, o que por certo daria uma maior visibilidade ao seu, me de um retorno que te explico como seria isso. E penso que deve sabe, pois seus escritos são ótimos. Até outra hora, amigo. Um abraço

selma disse...

Oi,

Embriagar-se... nos sentimentos... lucidez dos poetas...
Gostei.
abraços poéticos.
Selma