sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Cena de cinema

Os carros passam e o seu não chega
Eu te espero sentado em uma mesa
Os minutos correm e eu não tenho uma cerveja
Acho que eu te vi saindo preocupada
Corri atrás de ti sem saber se era você
Sem entender mais nada.
21/02/08 15:31



Já me acostumei
Com o tempo dos mortais
Cheia de acontecimentos
Momentos tão normais
Já me aconstumei
Com esta vida sem adjetivo
Tão prematura, inconstante
Sem objetivo.

E os meus medos tão pequenos
Me fazem correr
Meus anseios são venenos
Me fazem morrer...
21/02/08

Um comentário:

Alma de Poesia disse...

Nossa! Muito bom esse poema viu.
Gostei de conhecer seus escritos. Parabéns!